Como usar o seu PC no trabalho de forma segura

Qualquer uso dos computadores pessoais, de seu local de trabalho para além do trabalho representa um perigo. Evite colocar em risco a sua privacidade usando o computador corporativo com pés de chumbo

Talvez seja apenas para responder a uma mensagem rapidamente através do WhatsApp Web ou, simplesmente, para confirmar por e-mail a reserva do hotel para as próximas férias. Por uns ou por outros motivos, o certo é que o computador que usamos a maior parte do dia, o do trabalho, é um aliado indispensável para resolver esses assuntos pessoais.

No entanto, há outro lado da moeda: se você não tomar precauções ao navegar, você estaria não só colocando em risco a segurança da empresa para a qual trabalha e seus clientes, mas também correndo o risco de que seus próprios supervisores sejam os que terminam espiando o que você faz com o seu computador corporativo.

Cada arquivo que você abre no COMPUTADOR de sua empresa, cada tecla que você pressiona e cada site que visitas podem ser vistas por seus chefes. Se sua atividade pessoal com o computador da empresa não é ilegal e nem tão frequente como para afetar a sua produtividade, dificilmente pode ser motivo de demissão, mas sim, você pode entrar em apuros

 

Talvez seja apenas para responder a uma mensagem rapidamente através do WhatsApp Web ou, simplesmente, para confirmar por e-mail a reserva do hotel para as próximas férias. Por uns ou por outros motivos, o certo é que o computador que usamos a maior parte do dia, o do trabalho, é um aliado indispensável para resolver esses assuntos pessoais.

No entanto, há outro lado da moeda: se você não tomar precauções ao navegar, você estaria não só colocando em risco a segurança da empresa para a qual trabalha e seus clientes, mas também correndo o risco de que seus próprios supervisores sejam os que terminam espiando o que você faz com o seu computador corporativo.

WhatsApp muda sua letra pequena: prepare-se para começar a receber publicidade

O serviço de mensagens instantâneas mais usado do mundo muda os seus termos e condições para abrir o caminho ao conteúdo publicitário
Cada arquivo que você abre no COMPUTADOR de sua empresa, cada tecla que você pressiona e cada site que visitas podem ser vistas por seus chefes. Se sua atividade pessoal com o computador da empresa não é ilegal e nem tão frequente como para afetar a sua produtividade, dificilmente pode ser motivo de demissão, mas sim, você pode entrar em apuros

Quais são as regras?

Em Portugal, as regras são claras: a sua empresa não pode monitorar sua atividade sem comunicártelo anteriormente. É mais, precisa da autorização do empregado para poder revisar o conteúdo do computador ou monitorar suas comunicações. O problema (ou um deles) é que, provavelmente, o empregado tenha dado a sua aprovação, sem sequer saber: como que nós assinamos os termos e condições do Facebook e outros serviços sem ter lido nem meia linha, é provável que firmemos no trabalho um documento com a nova política de privacidade e confidencialidade e que nele se inclua a nossa aprovação.

Há uma exceção: o próprio e-mail da empresa. Para ler o conteúdo dos e-mails enviados através dele, a empresa não precisa de autorização. Assim, a solução óbvia é usar nossa própria conta de e-mail em caso de que decidimos enviar uma mensagem alheio ao trabalho do computador corporativo.

Além de ler de tudo o que nós assinamos (tanto dentro quanto fora do trabalho), o primeiro passo para não meter a pata ao usar o computador do trabalho para assuntos pessoais é verificar o manual interno que as empresas costumam ter para determinar as regras de uso dos computadores.

Desde então, as empresas não lhes faltam opções que recorrer para espiar o que fazem com seus funcionários. Hubstaff, você pode ajudar a, Mspy ou TimeWork são apenas algumas das muitas soluções existentes para monitorar o uso que se dá aos computadores corporativos ou até mesmo o número de horas que se cumprem diante do computador. E mesmo que legalmente seja necessária a autorização do empregado para usar qualquer um desses programas, a sua simples existência é motivo suficiente para andar com pés de chumbo. Não em vão, não sabemos se já aceitou a monitorização sem reparar nisso ou se, simplesmente, nossa empresa tem se omitido esse necessário visto.

 

Como evitar meter a pata?

Só há uma forma de garantir a cem por cento não estar dobrando a perna com o computador de nosso posto de trabalho: não usá-lo sob nenhum conceito, para questões pessoais. Mas não basta isso: se você buscar em seu próprio computador portátil ou em seu telefone móvel para abordar esses asuntillos durante a jornada de trabalho, o melhor é fazê-lo, evitando ligar-se à rede wi-fi da empresa.

A razão é dupla. Por um lado, para se conectar ao wifi da empresa nos reposicionada como possíveis alvos de fiscalização. Por outro lado, clique no link menos indicado ou fazer o download através da rede corporativa um arquivo infectado tornaria nossos dispositivos em uma possível porta de entrada para a empresa, para os cibercriminosos.

Embora possa doer a nossa taxa de dados, o ideal é usar somente dispositivos pessoais e fazê-lo com o 4G ou 3G ativado. Além disso, o próprio celular pode fazer as vezes de modem para o nosso computador portátil pessoal. Por exemplo, no Android, basta entrar em “Configurações” e ativar a opção “Modem USB” com o celular conectado ao computador para compartilhar a conexão com a internet e navegar a partir do PC. No caso de ter um iPhone, o procedimento é igualmente simples: basta ativar a ferramenta “Compartilhamento de Internet”, a que se chega, a partir da opção “Dados” do menu “Configurações”.

Não obstante, pode ser que não se fique mais remédio ou que opte por liarte o cobertor na cabeça e usar o computador de sua empresa para esses poucos assuntos pessoais que você quer resolver no escritório. Nesse caso, também há formas de evitar meter a pata até o fundo, embora corramos um maior risco.

Entre outras coisas, o ideal é remover automaticamente qualquer arquivo que descarregar no computador corporativo. Assim, uma ‘pendrive’ no bolso pode ser uma solução: ele contém tudo o que você precisou fazer o download para o computador e, em seguida, excluí-lo. Isto não impede que os seus superiores saibam que não estava trabalhando no caso monitorar a sua atividade, mas, pelo menos, sim obsta a que tenham acesso ao documento em questão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *